sebenta de anotações esparsas, pensamentos ociosos, reflexões cadentes, poemas difusos, introspecções de uma filosofia mais ou menos opaca dos meus dias (ou + reminiscências melómanas, translúcidas, intra e extra-sensoriais, erógenas, esquizofrénicas ou obsessivas dos meus dias)
-
cahier de notes éparses, pensées oisives, réflexions filantes, poèmes diffus, introspections d'une philosophie plus ou moins opaque de mes journées (ou + de réminiscences mélomanes, translucides, intra-sensorielles et extra-sensorielles, érogènes, schizophrènes ou obsessionnelles de mes journées)

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O meu cais de abrigo, longe dos barulhos do mundo




É aqui que os Cadernos do Gaspar são escritos,
é aqui que desagua a minha prosa
quando extravasa as minhas margens
é aqui que brota a minha poesia
que os meus manuscritos são reescritos
revistos, corrigidos, re-reescritos
é aqui que os meus rabiscos arabescos
rascunhos gatafunhos, esquissos ariscos
tomam forma
é aqui que me deixo inspirar por vezes,
intimidar também, pelas obras e sombras de meus mestres
pelas minhas musas, pelos meus amores e dissabores
pelas minhas aventuras, desventuras e aventuranças

Aqui
longe dos barulhos do mundo

6 comentários:

Irina disse...

Eu adorei o teu cais de abrigo! Ver a tua biblioteca fez-me sentir saudades da minha, que deixei em Portugal. Os livros são realmente um conforto para a mente e para a alma! bjs

Anónimo disse...

Uma secretária partilhada é coisa impossível para mim! Instalo o caos!


Lis

Alexandre Gaspar Weytjens / disse...

Irina: precisamos todos de um porto de recolhimento.

Lisa: saudades tuas, onde páras? sem o teu blog, não sei onde saber novas tuas?

ccps disse...

Que quantidade massiva de obras literiarias. Assim é que é...

Anónimo disse...

bonita biblioteca :-)

cynthia fernandes (echternach)

Anónimo disse...

Livros e mais livros! O paraíso é uma biblioteca como dizia...