sebenta de anotações esparsas, pensamentos ociosos, reflexões cadentes, poemas difusos, introspecções de uma filosofia mais ou menos opaca dos meus dias (ou + reminiscências melómanas, translúcidas, intra e extra-sensoriais, erógenas, esquizofrénicas ou obsessivas dos meus dias)
-
cahier de notes éparses, pensées oisives, réflexions filantes, poèmes diffus, introspections d'une philosophie plus ou moins opaque de mes journées (ou + de réminiscences mélomanes, translucides, intra-sensorielles et extra-sensorielles, érogènes, schizophrènes ou obsessionnelles de mes journées)

sexta-feira, 18 de abril de 2008

porque te amo?

Jessica,
Estás sempre a perguntar,
"Sabes Zé, porque me amas?"
Se eu não soubesse, meu amor,
Ia já comprar um coração novo, porque é ele, o
Coração, que sabe porque te
Amo tanto assim.


...amo-te por seres o meu acordar mais delicioso,
o meu abraço mais carinhoso
porque me sorris em cada olhar
como o céu que se espelha no mar
porque a carícia é o teu último gesto antes de adormeceres
porque a tua mão procura a minha durante a noite sem saberes
e o teu corpo se cola ao meu como se a Terra assim girasse
amo-te por seres o sol e a lua
que nunca minguasse
por seres o meu desejo de sempre te ver nua
entre as minhas mãos e no meu peito
por seres assim desse teu jeito
e tudo o mais e todas razões sem razão
que o meu pobre coração
ignora, e por aí fora...

3 comentários:

Anónimo disse...

ai, tanto love! tão piegas, mas tão necessário :-) Beijo aos dois!

Lis disse...

O amor é louco. Não façam pouco.
:-)

Paulo lobo disse...

posso fazer tuas as tuas palavras (re Nancy)?