sebenta de anotações esparsas, pensamentos ociosos, reflexões cadentes, poemas difusos, introspecções de uma filosofia mais ou menos opaca dos meus dias (ou + reminiscências melómanas, translúcidas, intra e extra-sensoriais, erógenas, esquizofrénicas ou obsessivas dos meus dias)
-
cahier de notes éparses, pensées oisives, réflexions filantes, poèmes diffus, introspections d'une philosophie plus ou moins opaque de mes journées (ou + de réminiscences mélomanes, translucides, intra-sensorielles et extra-sensorielles, érogènes, schizophrènes ou obsessionnelles de mes journées)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson (1958-2009) - In Memoriam




O rei da música pop, Michael Jackson, morreu às 12h47 desta quinta-feira (hora de Los Angeles), vítima de uma paragem cardio-respiratória, começaram a relatar os sites de notícias e canais de televisão norte-americanos pouco antes da meia-noite (hora do Luxemburgo).

O cantor Michael Jackson, de 50 anos, morreu há duas horas, após ter dado entrada nas urgências de um hospital de Los Angeles, na Califórnia, em paragem cardíaca às 12h21, de quinta-feira, 25 de Junho. A sua morte oficial foi anunciada 26 minutos depois.

O cantor norte-americano recebeu reanimação cardio-respiratória antes de ser transportado para o hospital, ao início da tarde (noite no Luxemburgo), e não respirava quando deu entrada nos serviços de urgência.

Assim que a notícia se soube espalhou-se primeiro via internet. Apenas alguns canais de televisão na Europa dedicaram um bloco especial para divulgar a notícia, como a Sic, em Portugal, ou a BBC, no Reino Unido. Os canais franceses e alemães, devido à hora tardia (mais uma hora do que em Portugal e na Inglaterra) não mudaram a sua programação.

O jornal Público mudou in extremis a sua primeira página e a manchete de amanhã será "A pop perdeu o seu rei", dedicando duas páginas ao artista que mais marcou a música nos anos 80 e contava já com 45 anos de carreira.

A notícia tem vindo a chocar o mundo inteiro, já que o artista preparava uma digressão de 50 concertos ("This is it Tour") para breve e um come-back há muito esperado pelos milhares de fãs.

Uma multidão crescente, formada inicialmente por fãs, concentrou-se às portas do hospital onde morreu Michael Jackson.

Os fãs começaram a chegar ao Hospital da Universidade da Califórnia assim que souberam que o cantor tinha entrado na unidade com uma paragem cardio-respiratória.

A morte de Jackson foi também chorada na Times Square, em Nova Iorque.

Os serviços de emergência receberam uma chamada às 21h26 (hora do Luxemburgo) alertando para a necessidade de uma ambulância para a residência do artista, em Holmby Hills, em Los Angeles.

Michael Jackson já não respirava quando chegou a equipa médica, tendo entrado no hospital em coma profundo, segundo o jornal Los Angeles Times, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.


PERFIL DO REI DA POP


Michael Jackson, génio da música pop que faleceu esta quinta-feira na sequência de um ataque cardíaco, num hospital de Los Angeles, Estados Unidos, era uma das estrelas do mundo da música mais adoradas e mais controversas.

Depois de ter praticamente desaparecido em 2005 por causa do julgamento em que era acusado de ter abusado sexualmente de uma adolescente, apesar de ter sido absolvido, o cantor cinquentenário tinha anunciado em Março o seu regresso aos palcos, num concerto em Londres, no Verão.

No fim de Maio, os organizadores anunciaram que os concertos de Julho tinham sido adiados alguns dias, assegurando, no entanto, que isso "nada tem que ver com a saúde" do cantor.

Dotado de uma voz inconfundível, Jackson actuou pela primeira vez em palco com os irmãos aos 5 anos de idade, em 1963, era um exímio bailarino e aos 10 anos o seu talento era reconhecido, tendo mais tarde conquistado o estatuto de estrela mundial.

No entanto, desde os anos 1980 que o enigmático Michael Jackson mostrava sinais físicos e comportamentais estranhos, pelo que, além de ser um fenómeno musical, o cantor passa a ser também um fenómeno humano.

Michael Jackson nasceu a 29 de Agosto de 1958 numa família negra de origem pobre, em Gary, no estado do Indiana, no norte dos Estados Unidos.

O seu pai era mineiro e a mãe trabalhava numa revista. O casal tinha nove filhos.

Em 1979, o produtor Quincy Jones supervisiona o seu primeiro disco a solo, "Off the Wall", em que participa Stevie Wonder e Paul McCartney, um disco que continuava a ter sucesso mesmo depois de 15 anos.

Michael Jackson bateu o recorde mundial de vendas com o seu álbum "Thriller", em 1982, com mais de 50 milhões de exemplares vendidos. Graças ao primeiro single do disco, "Billie Jean", em que torna famoso o "moonwalk", Michael Jackson torna-se o primeiro afro-americano a passar na MTV. Seguem-se outros dois sucessos musicais: "Bad" (1987) e "Dangerous" (1991).

É nesta altura que o físico do cantor começa também a transforma-se, com a sua pele a ficar cada vez mais clara e o seu nariz cada vez mais fino.

No entanto, Jackson nega qualquer cirurgia, explicando a brancura da sua pele com a sua doença, vitiligo.

Michael Jackson transforma um rancho californiano em residência e parque de atracções a que deu o nome de "Neverland", em homenagem ao seu ídolo, Peter Pan, a criança que não se torna adulta.

Em 1993, esta imagem excêntrica passa para segundo plano quando vem a público uma denúncia de um jovem de 13 anos que afirma ter sido vítima de abuso sexual por Jackson.

O cantor foi considerado inocente e recebeu uma indemnização de cerca de 23,3 milhões de dólares, uma quantia pouco significativa em relação à sua fortuna estimada em cerca de 600 milhões de dólares.

Em 1994, Michael Jackson casa com a filha de Elvis Presley, Lisa Marie Presley, o que foi uma surpresa.

No ano seguinte é editado "HIStory", um disco anunciado como o regresso da estrela da pop mas que se revelou um fracasso.

Jackson e Lisa Presley divorciam-se e, em 1996, o cantor volta a casar com Debbie Rowe, enfermeira australiana com a qual teve dois filhos, Prince Michael Jr e Paris Michael Katherine, divorciando-se novamente em 1999.

Em 2002, nasce o seu terceiro filho, Prince Michael II.

O álbum "Invincible", que sai em Outubro de 2001, revela-se também um sucesso.

Em 2003, num documentário britânico, o cantor afirma que gostava de dormir com rapazes jovens, com "toda a inocência", um escândalo que mancha a sua imagem, mesmo com a sua absolvição em Junho de 2005 pela acusação de abuso sexual de menores.

Entretanto, a fortuna da estrela musical emagrece em 2006, altura em Michael Jackson oferece à Sony a oportunidade de comprar metade do seu catálogo musical para pagar uma dívida de cerca de 170 milhões de dólares.

Depois desta desgraça financeira, Jackson tinha conseguido recentemente a anulação da venda dos seus objectos pessoais que devia ser organizada pela leiloeira Julien's, na Califórnia.

Michael Jackson tinha anunciado que estava a trabalhar num novo álbum que não chegou a materializar-se.


...Eu era fã.

4 comentários:

Anónimo disse...

Lá vai uma parte da nossa juventude...
Beta

Paulo lobo disse...

chocante

Paulo lobo disse...

eu admirava o génio incrivel do artista
e achava triste todos os ataques de que foi alvo
demasiada fama, demasiado dinheiro, demasiado mel
e tantas abelhas a quererem devorar...

Alexandre Gaspar Weytjens / disse...

Sabia sobretudo compôr música que sabia iria agradar às massas. Aprendeu isso na Motown. E era uma besta de trabalho, um perfeccionista, o meio-termo não lhe chegava. Talvez por isso partiu, para que o seu come-back não fosse apenas um fogo de palha. Tivesse ele vivido e não teria sobrevivido a isso.